Dispensar Aviso
Por favor Registre-se, não leva mais do que um minuto e tenha acesso a todo o conteúdo do fórum Grátis!

O porquê eu parei de comprar produtos importados

Discussão em 'Legislação & Taxas e Tributações' iniciada por Perene, 8 Julho 2016.

  1. Perene

    Perene Membro

    Registro:
    8 Julho 2016
    Mensagens:
    35
    Curtidas Recebidas:
    4
    Gostaria de fazer uma observação sobre o que me motivou a parar de comprar coisas do exterior. E não, o motivador não foram os impostos, por incrível que pareça.

    Vejo muitos usuários questionando coisas básicas, quando o cerne da questão NUNCA TEM DE SER ESSE: serei ou não taxado? E sim com que tipo de pessoa ou empresa estamos lidando. Vou explicar, acompanhem até o final.

    Vamos lá, vou enumerar meus pontos de vista, e as "teclas" que vou bater alguns já devem estar carecas de saber, mas é sempre bom frisar tudo de novo:

    1) Se você tem pressa de receber, não espere em momento ALGUM ou não pagar ou pagar MENOS imposto. A demora em 90% dos casos não é pra chegar no seu país, e sim da Receita Federal de liberar. Tipo, o produto pode demorar 1 semana pra vir lá da PQP pro Brasil, mas 2 meses até dar sinal de vida, porque na Receita estão "sentando" na sua encomenda. Nesses casos é sempre bom fazer uma reclamação nos Correios brasileiros.

    Eu fiz e me disseram que o prazo máximo ao embarcar aqui pode ser de até 50 (!!!!!) dias úteis pra liberar. Só que após minha queixa, um pedido da DX já foi encaminhado pro meu estado, isso 1 mês depois de eu comprar.

    2) Se algo for pedido sem ser pelos Correios, paga-se SEMPRE imposto. SEMPRE, em 100% dos casos.

    Se você pode optar pelo frete mais barato possível, faça isso. JAMAIS compre de alguém que só te envia por empresas particulares de encomenda expressa, tais como Fedex, UPS, DHL, TNT e similares.

    JAMAIS, MAS JAMAIS MEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEESMO, porque além de pagar um imposto até maior que vc pagaria se enviasse PELOS CORREIOS, você ainda arca com essas taxas de forma antecipada. E muitas lojas PODEM SIM enviar da maneira mais barata, mas por preguiça ou mau-caratismo, não fazem isso.

    3) Eu sei que já se comentou que o limite de 100 dólares não especifica se o remetente é ou não pessoa física ou jurídica, mas a regra sempre foi taxar quando é uma empresa que está te enviando, independente do valor, mesmo que você compre algo que custe 1 dólar.

    4) Questionem e verifiquem sempre o imposto cobrado, se o pedido de revisão não surtir efeito, entrem na justiça, mas jamais deixem pra lá, e se for pago, creio ter lido aqui que pode-se pedir ressarcimento na justiça do mesmo jeito (pelos Correios, claro). E mesmo quando não pode por lei taxar, a Receita faz isso.

    5) Já sobre encomendas visadas, não existe isso, é fantasia acreditar que se você enviar por AirMail, Priority ou não sei o que, vai escapar da taxação, se quiserem abrir sua encomenda ou taxar de qualquer forma, vão fazer isso SIM. Então não adianta pagar 40 de frete via Priority em detrimento do AirMail que custa 20 por achar que esse último será visado.

    Esqueçam isso, é loteria se você será taxado ou não, claro que algumas encomendas (mais pesadas, com logo, etc.) são mais visadas, mas preveja sempre o pior.

    6) O ponto mais importante que eu queria ressaltar: óbvio que não adianta fazer as coisas pela metade e esperar ter sucesso em ou não ser taxado, ou pagar menos imposto.

    O ideal seria que:

    - Você tivesse o comprovante de que comprou, mas o pagamento fosse fracionado. Exemplo: eu quero comprar um telescópio que custa 500 dólares. Ao invés do comprovante dizer que paguei os 500, eu poderia FRACIONAR a compra pra mesma pessoa/empresa, constando algo tipo 50 ou mesmo 100 USD.

    - O valor declarado e a nota dentro da caixa fossem iguais. Óbvio que se abrirem a caixa e um dado não bater com o outro ou a fatura do cartão também for discrepante, não vai adiantar NADA.

    - Ser disfarçada a procedência do produto. Pra isso, seria preciso abrir a caixa e talvez retirar um manual, caixa ou algo assim, até pra tentar passar a impressão que é algo usado, e por isso custa menos.

    - Não ser declarado um valor discrepante demais. Por exemplo, existe binóculo que custa todo tipo de preço, seja 25, 50, 150, 300 ou 1000 dólares. Aí talvez até "cole" dizer que custa 25 (algo que foi 150), mas não vai rolar pegar um iPhone, que tem preço tabelado no mundo todo, e dizer que custa 50 USD.

    Por isso que o ideal seria pagar imposto SIM, tipo, baixando só 100 ou 150 dólares de uma compra de 500, e não chamar o fiscal da Receita de PASPALHO, tipo declarar que vale 5 $ algo de 50, 100, ou ainda mentir sobre o próprio conteúdo (como se não houvesse raio-X também).

    - Ser possível tirar um print da página de compra, melhor ainda se foi um site de vendas, mas pode ser de um eBay ou algo do tipo, que mostre o valor da declaração e nota, e detalhes do produto.

    7) Alguns produtos (especialmente os da Apple) você já consegue encontrar no Brasil, sem os impostos, mas não em lojas tipo Submarino ou no site oficial, e sim num Mercado Livre, trazidos pelo pessoal que viaja pro exterior (como fazem isso, não sei). Na maioria das vezes não tem nota fiscal, mas vejam que no caso da Apple, pelo número de série (ainda mais se for homologado no BR) você tem garantia de 1 ano. E ELES DÃO ASSISTÊNCIA/GARANTIA mesmo que você não tenha mais a nota fiscal de compra, se, claro, estiver dentro do período de 1 ano.

    Pode-se verificar o status do produto conforme indicado aqui:
    http://www.techtudo.com.br/dicas-e-...r-se-o-iphone-e-o-ipad-estao-na-garantia.html

    Eu já vi iPAD praticamente pela metade do que lojas normais cobram, e vieram novos/lacrados. Óbvio que você precisa ter alguma segurança, tipo um Mercado Pago (nunca depositar diretamente na conta de ninguém, mesmo em pessoas com ótimo feedback).

    A garantia pode ser exigida do fornecedor em caso de problemas, mesmo sendo algo que não Apple (que disponibiliza no mundo todo), ou contra o intermediário (ML), basta conhecer o CDC pra isso.

    Então, em casos assim, não compensa importar, porque vc pode achar um vendedor que trouxe sem imposto ALGUM e você não irá se livrar de pagar qualquer tributo, ainda mais eletrônicos.

    8) Já cansei de ler relatos de que os fiscais taxam quanto eles acham que vale, ainda mais se existe similar no mercado nacional. Mas isso é muito mais provável de acontecer se todo o resto que eu comentei não foi seguido à risca.

    9) Um outro ponto importantíssimo que comentei é que quando as pessoas viajam pro exterior, elas sempre levam bens caros pra lá e pra cá. Esse é um erro grave, pois o que rola de furto em hotéis (especialmente por funcionários, váo te furtar quando você não estiver no quarto) ou mesmo bagagens em aeroportos, não tá no gibi.

    E esses casos tem aumentado cada vez mais (teve aquela brasileira que usou o AirBnB, e perdeu quase R$ 50 mil, a empresa depois parece que ressarciu). Só que se isso ocorrer com você, a chance de que alguma "justiça" seja feita é ZERO, não pensem que só porque é primeiro mundo que é civilizado, existem quadrilhas especializadas NO MUNDO TODO, especialmente em países ricos, pra roubar turistas.

    Pra mim é sandice sair até de casa ali na esquina com bens caros. Se você precisa bater fotos, opte por uma câmera (eu só usaria 4K) e não um equipamento que faz isso e muito mais, que custou milhares de reais. Se precisa usar a internet, tem wi-fi em qualquer lugar. É até melhor, porque você não arrisca danificá-los, e pode aproveitar melhor a viagem. Mesma coisa não andar com muito dinheiro em espécie, não deixar o funcionário levar seu cartão pros fundos (passar na sua frente...), etc.

    E sendo assim, o que eu faria numa viagem é simplesmente comprar o item que eu quero E NÃO TRAZER NA COTA DOS 500 DÓLARES. Eu prepararia a encomenda, enviaria pelos CORREIOS pro meu endereço no Brasil (podendo usar como remetente meu endereço na Shipito ou outro site do tipo), já seguindo os passos anteriores.

    Isso é algo tão óbvio, tão elementar, que me admiro que não tenham pensado ainda.

    Tá, e, se você sabe isso tudo, por que parou de importar? Não deu certo?

    Eu parei de importar porque estou no Brasil e quem está do outro lado está POUCO SE LIXANDO pra situação daqui (ou de qualquer país). o_O

    Essa gente quer vender apenas pra sua curriola, e como bons "agentes da Matrix", acham que pagar imposto de importação é algo válido.

    Ora, se nego não quer enviar pelos Correios, se só envia pro próprio país (ironicamente, pra um site que não é um ML, e vende pro mundo todo), se não quer ter trabalho nenhum pra vender, se a garantia vale apenas pra residentes naquele país (e a garantia em caso de defeito de fábrica, especialmente pra itens pesados, é um problema sério, pois fica a questão de quem vai arcar com os fretes e novamente entra a questão do imposto), e apenas encher o rabo de $, vocês querem eu apoie isso aí de que maneira? :rolleyes:

    O poder aquisitivo do brasileiro diminuiu drasticamente, e certos produtos aumentam cada vez mais. O que se comprava com 1 real em 1994 hoje vale 4,50, uma nota de R$ 100 daquela época hoje vale R$ 22.

    A minha bronca não é quando chega aqui e a Receita faz das suas, porque é um risco inerente do negócio. Tá, beleza, se tentou de tudo, mesmo assim não deu certo dessa vez, da outra SIM, bola pra frente, OK. Vida que segue...

    Mesmo fazendo tudo que sugeri, não há garantia ALGUMA de sucesso. Acontece que uma andorinha só não faz verão, é preciso cooperação das duas partes, e se não existe isso, eu simplesmente paro de comprar.

    Não pagar imposto de importação pra mim não é apenas um inconveniente financeiro, é uma questão moral. Não sou anarquista boboca que diz que "imposto é furto", que não tem de haver Estado ou ingerência deste, etc. Tem sim, só que o mínimo do mínimo do mínimo.

    E esse tipo de imposto eu não só sou 100% contra, mas repudio quem não faz nada pra que não seja pago.

    Por isso que, se eu fosse dar um conselho, seria este: boicote quem não quer lhe ajudar, e apenas faturar fácil às suas custas.

    ********

    E só concluindo o que eu falei sobre importação, segue aqui o que diz a NTS que recebi do pedido de US$ 16:

    "Os valores que servem para o lançamento do tributo são obtidos na tabela FOB de produtos estrangeiros. Não constando o bem da referida tabela de catálogos, listas de preços, o valor será calculado a partir do preço de produtos similares ou pelo valor declarado pelo remetente. A alíquota do imposto é aplicada sobre o valor FOB do bem, acrescido dos custos de transporte e seguros. Estes acréscimos não serão computados quando já estiverem incluídos no preço de aquisição ou forem suportados pelo remetente, desde que comprovado."

    Isso aí eu também já sabia há séculos: o fiscal pode taxar QUANTO ELE ACHA QUE VALE (o que também é objeto de discussão no pedido de revisão, onde não se pede apenas pra não pagar o imposto - e aí que entram as provas pra você embasar o valor menor, diferente do dele).

    Quando o produto chega aqui, a Receita já tem uma noção (vaga em muitos casos, mas tem) de quanto aquilo deve custar, pra taxar em cima da tabela DELES. Então não adianta pedir um iPAD NOVO de 500 dólares e querer declarar a 100, 200, vão dizer que vale 500 e você ser multado, ainda por cima.

    Também não adianta declarar do lado de fora somente, já que a Receita tem autorização PRA ABRIR SUA ENCOMENDA, e aí vão ver a nota fiscal (invoice) da loja que te vendeu, dizendo outra coisa, ou, como eu expliquei aqui, vão ver manuais, vão ver que a mercadoria está lacrada (ou seja, é algo novo)...

    Seria aí que entraria não apenas disfarçar valores:

    - Na nota fiscal;
    - Na página do site que vendeu;
    - No extrato do cartão (comprovante de compra);

    E sim também se tirar a procedência do produto, já que um manual impresso pode ser jogado fora, e digitalizado. Se vier sem lacres, pode-se argumentar que é o mesmo modelo de equipamento que vc comprou, só que usado, por isso mais barato. Pode-se também enviar sem a caixa original, ou sem algo que denuncie exatamente o modelo em questão.

    Isso, claro, exige que se abra tudo e verifique o que pode ser feito.

    E evidente que não dá pra tentar NADA DISSO sem enviar como pessoa física, porque envio de jurídica configura comércio, o que diminui muito as chances.

    Mudança essa que loja nenhuma fará (e colocar o nome de uma pessoa na origem do remetente seria um favor, e não um favor + tentativa de pagar menos imposto).

    Agora me digam com toda sinceridade, onde é que certos produtos como binóculos e telescópios constam de qualquer tabela de produtos estrangeiros? Todos aqui estão carecas de saber que o preço deles é tão variado quanto o de DVDs de filmes, por exemplo. Tem edição de colecionador em Blu-ray que pode custar 50 ou mais dólares. Já outro filme menos bem quisto pode sair a US$ 10 ou menos.

    Não é pra dar uma de bocó e declarar a US$ 2, 3, porque aí é absurdo DEMAIS. E tem gente que faz isso, acreditem.

    Vejam o caso de um tele que custa US$ 500 e só pra mandar, vamos supor, o custo seja US$ 300.

    Seria mais negócio declarar a US$ 200 ou 250 (talvez até menos, se não for um monstro pesadão), e pagar imposto sobre 200 + 300, e não dar uma de esperto e declarar que vale 50.

    O que é melhor, pagar imposto sobre 500 ou sobre 800 dólares? Vejam aí que sobre apenas US$ 16, incluindo frete, vieram me cobrar 40 reais. Calculem então o furto que não seria sobre bem mais...

    Aí que tá, eu pesquiso as coisas, eu procuro ver o que diz a lei, como recorrer, como pagar menos... o pessoal que vende e compra faz isso?

    Se não fazem, então vamos ficar restritos aos produtos que as lojas NACIONAIS, que as importadoras QUISEREM trazer pra cá, ao preço ditado por eles.

    Ou então quando viajarmos pro exterior e comprarmos algo por lá.
     
    Last edited: 17 Julho 2016


  2. Publicidade
    Advertisement


  3. Levi Brito

    Levi Brito Membro

    Registro:
    22 Julho 2016
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    0
    Eu sei que quando atrasa a encomenda tem que preencher o formulario no site dos Correios. Mas o que fazer se o codigo de rastreio não dor suportado pelo site dos Correios? Fiz uma compra de um display de um samsung (R$ 59,00) chegou ao Brasil em 10 de junho, ja passou mais de um mes e nada. O codigo que recebi (SYBMY1******0) é da Malaysia Pos, que o formulário dos Correios não aceita...
    o que resta é esperar e rezar pra que não seja taxado (ou que não seja um pedaço de isopor)
     
  4. Perene

    Perene Membro

    Registro:
    8 Julho 2016
    Mensagens:
    35
    Curtidas Recebidas:
    4
    Você já checou nesse site?
    http://www.17track.net/pt

    Tente e responda se foi encontrado.
     
  5. Levi Brito

    Levi Brito Membro

    Registro:
    22 Julho 2016
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    0
    sim, ja rastreei em tudo que imagina. Mas como disse ele parou no dia 10 de junho. E deve estar preso na alfandega.
    e o formulario dos correios nao aceita o código. Nao posso fazer reclamação.

    Codigo: SYBMY14442010
     
    Last edited: 24 Julho 2016
  6. Perene

    Perene Membro

    Registro:
    8 Julho 2016
    Mensagens:
    35
    Curtidas Recebidas:
    4
    Você precisa registrar a reclamação pelo 0800-725-0100 - não tente pelo site. Pelo que vi aqui, esse aeroporto fica em Curitiba/PR, que é um dos locais em que fica parado na Receita (Pinhais), porém seu rastreamento não indica que estão avaliando os impostos a serem pagos, apenas que embarcou nesse local. Ou seja, está parado MESMO, não na fila pra ser checado. E como já chegou no Brasil, registre SIM uma reclamação através dos Correios ou CONTRA OS CORREIOS, ou ainda na Receita ou CONTRA A RECEITA, pois já passou quase 2 meses que chegou aqui e se continuar assim, não acho que vão atualizar.

    Pra vc ter uma ideia, ao chegar da Suécia, levaram 2 semanas pra checar minha mercadoria e enviar do PR pra Recife/PE. Os Correios dizem que pode levar até 50 dias úteis ao embarcar aqui, mas vc deve dizer que não está na fila pra checagem, que apenas consta no rastreamento que está no aeroporto.

    OBS: Meu caso só andou também porque eu registrei queixa no 0800.
     
  7. Levi Brito

    Levi Brito Membro

    Registro:
    22 Julho 2016
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    0
    Liguei pra os Correios, o cara disse que não pode fazer nada porque o codigo não tem o padrão de rastreio, ou seja, nao é entregue pelos correios.
    Pedi reembolso do eBay, (o vendedor teve o usuario deletado não posso mais falar com ele) eles disseram que como é um produto entregue por frete gratis internacional o status do rastreio só vai até o pais de destino, no caso chegando no aeroporto do PR. Depois disso o status so se modifica quando a encomenda chega nas minhas mãos. E quem vai fazer essa entrega provavelmente será os correios, pois a Malaysia Pos não opera aqui.
    Não sei o que fazer, o que resta é esperar.
    Vi outros problemas relacionados à codigos de rastreio iguais a esse com inicio SYBMY em foruns russos, mas não entendi muito bem.
     
  8. Perene

    Perene Membro

    Registro:
    8 Julho 2016
    Mensagens:
    35
    Curtidas Recebidas:
    4
    Não, não resta esperar. Sugiro você entrar com reclamação contra os Correios de alguma forma, nem que seja no Juizado Especial Federal (não vou falar contra a Receita, pois não há provas de que eles tenham retido ou mesmo taxado). Não tem custas pra abrir ação e não precisa contratar advogado. A ação só pode ser proposta lá, não no Juizado Especial Cível. Se falando no 0800 o atendente diz que os Correios não tem nada a ver com isso, ou seja, não pode fazer nada, então a única via é a judicial.

    Eu não esperaria nem mesmo coisa de semanas pra abrir reclamação no 0800 e, não resolvendo, processar. Junte todos os comprovantes (telas de pedido, de rastreamento...) e dê entrada na ação SIM, pois do contrário você vai continuar esperando e sendo feito de trouxa por eles. E recomendo pelo menos falar com um defensor antes de entrar.
     
    Levi Brito curtiu isto.
  9. Maria Schlautman

    Maria Schlautman Membro

    Registro:
    22 Setembro 2016
    Mensagens:
    3
    Curtidas Recebidas:
    0
    Não para de importar não cara, ainda tem bons redirecionadores que salvam a pele da gente.
    Eu tava perdendo a esperança também, aí comecei a pedir pelo viabox e tem sido muito mais sucesso (se para na alfândega você já sabe né... mas não é sempre).
    As taxas pelo menos são muito baixas, e o reenvio é garantido se acontecer algum problema mais sério. Isso me ganhou.
     
  10. Perene

    Perene Membro

    Registro:
    8 Julho 2016
    Mensagens:
    35
    Curtidas Recebidas:
    4
    Eu estou usando o redirecionador da Shipito. Felizmente por eles dá pra alterar o valor declarado (além de omitir o custo do frete, que também é computado), mas pouco adianta se a Receita taxar quanto ela acha que vale, e você não tiver como corroborar isso numa revisão. Além disso, a Shipito já disse a mim que não manda como pessoa física.

    Shopfans parece que envia, Box4world eu sei que sim, mas aí que tá: se você quiser um "esquema" pra pagar menos imposto (ou não pagar), sem colaboração dos outros não tem como.

    Sem contar que passando de certo peso/dimensões (e USPS é extremamente limitado) só rola mandar por transportadora, aí então é que lascou. Um item de 3.4 libras me custou 35 dólares no total (de frete) pra mandar pra cá. Sai muito caro pra itens tipo telescópios, coisa de centenas de dólares (o próprio tele custaria menos).

    E esse Shopfans tem atendimento péssimo, não quiseram mandar binóculo pra mim, alegando que é proibido, sendo que somente os de visão noturna é que não podem ser importados pro Brasil (o que eu comprei não era desse tipo). Expliquei isso várias vezes, mas nem quiseram saber. Pelo menos tiveram a hombridade de devolver a mercadoria, depois a loja fez o estorno. Mas fiquei P. da vida com eles por isso.
     
  11. faraiz

    faraiz Membro

    Registro:
    23 Setembro 2016
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    0
    ja tentou usar mandy e paul? eles mandam qlqr coisa...
     
  12. Levi Brito

    Levi Brito Membro

    Registro:
    22 Julho 2016
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    0
    Meu display que comprei no eBay nunca chegou
     
  13. faraiz

    faraiz Membro

    Registro:
    23 Setembro 2016
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    0
    quem te enviou? mandy e pual, ou o proprio vendedor do ebay?
     
  14. Levi Brito

    Levi Brito Membro

    Registro:
    22 Julho 2016
    Mensagens:
    7
    Curtidas Recebidas:
    0
    não me lembro, foi um vendedor com nome chines. O perfil não existe mais, foi deletado.
     
  15. Perene

    Perene Membro

    Registro:
    8 Julho 2016
    Mensagens:
    35
    Curtidas Recebidas:
    4
    Recomendo que nesse caso busque seus direitos, e o eBay responde também, solidariamente, consulte um defensor público ou advogado pra ver o que fazer.
     

Compartilhe essa Página